segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Gorda LIVRE!

Sou gorda, sou livre, sou mulher que faz o que quer e não o que esperam que eu faça.
Não construo minha autoestima com base no gosto dos 'parça'.
Não busco sua validação, seu ódio disfarçado de opinião não passa de opressão.
Seu discurso de puritanismo é mais um vômito do machismo.
Cultura do estupro sobrevive de raízes  que condenam como obsceno a visão do corpo da mulher livre, dona de si, despida de preconceitos, vestida de felicidade e amor próprio, coroada com autoestima e empoderamento.
Obsceno é o feminicídio, obsceno é o machismo, obscena é a gordofobia, obsceno é o falso puritanismo, obsceno é atacar com violência  uma mulher que poderia ser sua filha, sua irmã, sua sobrinha, sua neta, sua amiga, sua namorada, sua chefe, sua médica, sua advogada, sua síndica, a juíza que bate o martelo de uma causa sua, sua companheira, sua avó, sua tia, sua CEO....
OBSCENO é compactuar com a violência contra a mulher!
Falta de respeito é você achar que discurso de ódio é opinião!
Se dar ao respeito é compreender que somos seres humanos livres, que devemos respeitar a existência de cada um como ela é, livre, respeitar a vida que você tem, o fôlego de vida que te move sem bancar o juiz de ninguém, sendo verdadeiro e leal à sua essencia, fazer valer sua existência.
Claudia GorDivah










Beijões Gordos,

Claudia Rocha GorDivah
Snap: gordivah