segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Vivendo 1 hora de cada vez



Eu desenvolvi fibromialgia por febre chikungunya e ainda estou lidando com as dores, só que o frio piora as dores por causa da fibromialgia, então preciso fazer compressas de água quente e usar adesivos térmicos para ajudar a controlar a dor além dos remédios.
Me afastei várias vezes do trabalho mas os médicos do INSS não concedem o benefício do auxílio doença de acordo com o recomendado no atestado médico...muito difícil ter que ficar toda hora indo lá pra aturar perito desqualificado que não reconhece a nossa limitação física.


Não consigo andar muito, nem descer muitas escadas, nem ficar sentada muito tempo porque minhas costas doem demais, minha perna começa a doer, minha lombar começa a travar...cada pequeno esforço feito pelo meu corpo provoca uma dor e cansaço como se eu tivesse feto um esforço mil vezes maior e com uma intensidade um milhão de vezes mais forte.



Ainda sinto dor nos ombros, braços e pulsos. Não consigo carregar nada, mesmo coisas leves caem da minha mão, não consigo controlar a intensidade do meu tato às vezes. Não consigo em escrever nem digitar muito ou segurar controle remoto ou celular com uma mão apenas.

Tenho ainda um pouco de dificuldade de segurar garfo e faca. Não consigo fazer movimentos simples como abrir tampa rodando com as mãos a tampa, da última vez que tentei arranjei uma lesão no manguito rotador. Parece que minha carne, tendão e músculos e ossos ardem por dentro na região das mãos ombros e cotovelos. Uma coisa que me aliviou um pouco foi o uso de aparelho massageador da TechLine que estavam vendendo numa drogaria Pacheco.



Não consigo pegar ônibus, não consigo pegar trem, não consigo pegar metrô e nem andar mais que 5 minutos. Mas estou melhor que no início, embora ainda esteja bastante limitada. Estou vivendo a base de cortisona e uma fórmula que o reumatologista passou. Pelo menos tenho conseguido dormir um pouco e comer coisas macias que não precisem ser muito mastigadas. Eu continuo muito inchada e com dores.
Os médicos estão perdidos e por falta de divulgação de informação, muitas pessoas não imaginam como é a nossa luta, quanta limitação e dor precisamos superar simplesmente para levantar da cama, tomar banho, comer, andar, segurar um copo, um garfo para se alimentar, segurar telefone, levantar os braços e pernas, dar passos em ritmo normal, tudo exige esforço e isso sem mencionar o impacto disso tudo em nosso emocional, mas uma hora eu sei que vai passar, esse dia há de chegar e enquanto não chega eu vou continuar aqui resistindo e contando com a ajuda dos mais próximos para me ajudar a manter o trabalho <3 Até lá vivo uma hora de cada dia por vez, só por uma hora eu posso controlar a dor e não me entregar e me digo isso de hora em hora em hora, só mais uma hora, você consegue!