quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Verdade Nua E Gorda!



Eu me tornei blogueira meio que por acaso e apesar de ter sido quase sem querer, eu hoje não me vejo escrevendo ou produzindo outro tipo de material que não seja pra militar contra a gordofobia, desconstruir preconceitos e abrir a mente principalmente de outras gordas como eu que por acaso ainda tenham a percepção errônea sobre si mesmas, de que não são capazes, não são belas, não são tão boas quanto qualquer outra só por causa dos dígitos em uma balança que não significam rigorosamente nada.

Gordas que não conhecem seus direitos são facilmente oprimidas e com isso sequer buscam ou se interessam por empoderamento e desconstrução de preconceitos. Crescer numa sociedade machista que faz apologia a magreza, anorexia, transtornos de imagem, alimentares e mentais não é fácil pra ninguém. Nossos médicos desconhecem e sequer se interessam em acompanhar estudos estrangeiros que questionam o conceito antiquado que todo gordo é doente, pesquisas e estudos já comprovaram que um gordo ativo é mais saudável que um magro sedentário. Obesidade é uma condição física que pode ou não vir acompanhada de outras doenças, ser gordo não significa rigorosamente ser doente, mas a classe médica e a sociedade tem preguiça de ler sobre estudos assim, afinal, pra que mudar o que tem gerado tanto lucro para empresas farmacêuticas  e do ramo de beleza né? Pra que mostrar pros gordos que é possível ser gordo e saudável? Pra que colocar em risco a mina de ouro que a cirurgia bariátrica se tornou pra muitos cirurgiões e equipes de especialistas que cobram em dinheiro suas consultas e não aceitam plano? Pra que aceitar gordos?



A sociedade tenta a todo e qualquer custo silenciar os gordos que questionam isso e rotula de “apologia à obesidade” movimentos body positive e de ativismo gordo. Uma coisa é estimular o ganho de peso, outra bem diferente é conscientizar gordos de seus direitos e lutar por eles, buscar instruir uma sociedade que nos nega nossos direitos que foram garantidos por lei e batalhar por outros mais.

O discurso biomédico disfarçado de preocupação com nossa saúde não cola mais! E dá vontade até mesmo de rir um discurso que por um lado diz “gordos são doentes” e do outro lado ataca estes mesmos “doentes crônicos”. Como pode sua preocupação ser saúde se você ignora o mal que está fazendo à saúde psicológica, mental, emocional do indivíduo gordo ao oprimi-lo se intrometendo na saúde física dele? Saúde é mais que física, também é mental, emocional, psicológica. Se nós gordos somos “doentes crônicos”, o que você se torna ao torturar psicologicamente doentes crônicos? É cruel e não faz o menor sentido isso! E ninguém questiona ou reflete sobre a incoerência desse tipo de atitude.

A sociedade permite a gordofobia, estimula e fortalece a falsa ideia de que o termo “gorda” deve ser pejorativo quando na verdade é apenas uma palavra que se refere a um aspecto físico de um indivíduo, como cor da pele, cor de cabelos...E mesmo diante disso tudo ainda escutamos que este tipo de militância é nos fazer de vítimas...Temos muito trabalho pela frente, mas eu não em intimido com facilidade e enquanto houver vida em mim, vou lutar para ajudar gordas a vencerem o preconceito que tem em relação a si mesmas e depois vencerem o preconceito dessa sociedade fútil, rasa e preconceituosa!

Ser gorda não é errado, não é contra a lei e não é da conta de ninguém! Ninguém chega pra um careca na rua e fala “Desculpa, mas você já pensou em fazer implante?” Porque isso simplesmente seria o cúmulo! Mas as pessoas se acham no dever de constranger gordos em público, até mesmo no trabalho como se fosse a coisa mais natural do mundo! As pessoas esquecem que opinião e gosto pessoal é uma coisa, ter ódio e repulsa por uma característica física corporal é outra. Ainda que a pessoa odeie gordos com todas as forças isso não dá a essa pessoa o direito de desrespeitar o indivíduo gordo, agredi-lo ou interroga-lo sobre sua saúde! Queremos  e merecemos respeito como qualquer outro cidadão, ser gordo não nos torna incapazes ou inferiores a ninguém. IMC não define saúde de ninguém e muitas vezes aquele gordo que é criticado por magros tem um estilo de vida mais saudável, exames com melhores resultados que muitos magros e antes que questionem o porquê de continuarem gordos, lembre que se ingerimos o mesmo que gastamos, nós simplesmente mantemos o peso e que nem todo mundo consegue ter uma rotina de vida e trabalho que permita alimentar-se de 3 em e horas. E, além disso, muitas pessoas tem N fatores orgânicos que  as fizeram ganhar e manter o peso.  E ainda que a pessoa tivesse ganhado peso intencionalmente, ninguém tem nada a ver com isso! Gordos não precisam de seu aconselhamento médico, nutricional ou o que quer que seja! Até mesmo porque se ele quiser este tipo de apoio ele deverá procurar um profissional de saúde e não uma pessoa que está tentando exercer a medicina ilegalmente, sim, é isso mesmo que você leu, pois ao dar dicas de emagrecimento e questionar sobre a saúde e taxas do gordo você está agindo como se estivesse em uma consulta médica com um paciente!








Beijões Queen Size,

Claudia Rocha GorDivah