quarta-feira, 15 de julho de 2015

Opressão Estética e Você Que Se Acha Gorda Sem Ser


"Não, você não é gorda. E não, isto não é um elogio." É o que gostaria de falar para muitas moças que nos enviam fotos dizendo que são gordas e querem postar suas fotos no álbum de "Curtidoras Gordas" da página . Eu um dia já fui como vocês, pesava 70kg com 1,68, vestia 40/42 e me achava muito gorda, enorme, gorda mesmo. O que eu não sabia na época é que estava me vendo, enxergando meu próprio corpo de forma distorcida, como muitas magras hoje também enxergam. Eu tive esse estalo e inspiração para escrever este texto ao receber as fotos das curtidoras para o álbum da página Gordinhas Maravilhosas onde colaboro.

E à primeira vista me preocupou muito ver tantas moças com pouco  sobrepeso se achando gordas, mas foi só abrir alguns portais e ver a raiz de tanta distorção ao enxergar a si mesma: a mídia incita mulheres a se enxergarem de forma distorcida, a se depreciarem ao olhar corpos que não parecem capas photoshopadas de celebridades que podem gastar horrores em tratamentos estéticos. A mídia vomita opressão estética na sua cara todo dia, mas entenda que agir com preconceito consigo mesma por causa do corpo que você tem, não é nada legal pra você. E agir de modo gordofóbico com outras pessoas gordas, obesas NÃO ajuda em nada! Não ajuda os outros e nem a você!



Enxergar a si mesma de forma distorcida é tudo que a indústria da beleza e  mídia esperam de você. E também esperam que você vire um fitness fanático e principalmente gordofóbico e opressor da estética alheia. Eu fico impressionada ao ver tanta gente criticando o corpo de outras mulheres, como se todas nós tivéssemos a obrigação de ser clones loiras, magras e saradonas. E criticam celebridades com tanto furor que parece até que as pessoas xingadas comem criancinhas no café da manhã. E daí que a fulana famosa foi à praia e fotografaram celulites, mulheres tem celulites. E daí que a outra foi caminhar e na foto aparecem as estrias dela. Homens também tem estrias gente!



E quando eu achei que já tinha visto de tudo, eis que zapeando vejo uma matéria sobre grávidas que malham pesado no CrossFit com 5 meses de gestação, mulheres que se recusam a tirar fotos deste momento pois não aceitam registrar sua imagem com uma barriga grande, pois se acham "sapas", cara quando eu ouvi uma ex-apresentadora falando isso eu viajei e imaginei a cena: a criancinha  perguntando mamãe por que não tem foto sua comigo na barriga? O que será que essa mãe responderia? E a tal moça já tinha uma filha. Eu juro que fiquei com medo do futuro, que mulheres e homens teremos no futuro? Se nem aceitar barriga de gravidez aceitam mais, quanto mais barriga de gordura!



Eu já sofri opressão estética mas nunca fui gordofóbica com os outros. Nunca fui de ficar policiando a aparência de ninguém, nem de amigos ou namorados. Eu compreendo que isso dói, ser oprimida esteticamente, mas não se compara ao que passo hoje por conta da gordofobia. Não caber na sociedade é diferente de ser apenas criticada por não ter um corpo 0% de gordura. Não tenho intenção de diminuir o sofrimento de alguém mas sim de dar um estalo pra outro ponto de vista. Se você que sofre opressão estética acha isso ruim sem ser gorda/obesa, imagina se além disso você não coubesse em alguns lugares, tivesse acessibilidade negada para ir e vir, se divertir, locomover, realizar exames! Uma coisa é criticarem algumas partes de seu corpo, outra é te atacarem com raiva por você ser gorda e ter dificuldade para fazer coisas simples do dia a dia como passar numa roleta, sentar num banco no transporte público, fazer exames médicos, ser olhada na rua como se fosse uma criatura mítica, etc.

Enfim, por favor, entenda, aceite e repense: opressão estética é uma coisa e gordofobia é outra, mais profunda, ampla, criminosa, preconceito é teoricamente punido por lei nesta "magrocracia" em que vivemos. E digo magrocracia porque na prática não existe democracia para gordos!







Beijões Queen Size,

Claudia Rocha GorDivah