quarta-feira, 8 de julho de 2015

Gorda Náo É Uma Palavra Ruim

Há um tempo venho tentando problematizar isso aqui pois, vejo muitas pessoas fazendo um pouco de confusão de opressões que dizem respeito à estética com gordofobia.

Vou explicar: É porque às vezes encontro essas mulheres maravilhosas que dizem sofrer gordofobia pois não conseguem comprar roupas do seu tamanho, se sentem feias, não são aceitas em diversas ocasiões, e etc.
Muitas vezes, olho pra essas mulheres e vejo que afinal de contas, elas não são gordas. Então o que faz elas se sentirem assim?
Isso mesmo: a opressão estética! E porque ela é confundida com gordofobia?
Ora, mulheres que não estão no padrão, automaticamente são taxadas de tudo quanto é coisa; pois para cada milímetro do corpo feminino, há um padrão estético ideal, até quando pensamos em nossas partes íntimas.

Quando entramos na questão dos corpos fora do padrão, na maioria das vezes vemos a imagem de uma pessoa gorda, certo? O negócio é tão louco, que muitas meninas que apenas têm um culote aqui, outro ali, um quadril mais avantajado ou algo do tipo, já se sentem gordas mas não são!
Quem as faz sentir assim? Ela novamente, a opressão estética!
Mas como diferenciar opressão estética de gordofobia?
Bom, tem muitas questões que levam uma pessoa GORDA à sofrer gordofobia, por exemplo:
- Andar no transporte público e não caber nos assentos/ não passar na catraca/ pessoas preferem ficar em pé do que sentar ao seu lado. (Escrevi um texto sobre isso já, se quiser dar uma conferida clique aqui);

- Sofrer violência gratuita em TODOS os locais (públicos e privados), de gente próxima ou completos estranhos…é como se o formato do seu corpo fosse um assunto de interesse geral da nação; mas os seus sentimentos não né?

- Ser diagnosticada instantaneamente ao entrar em um consultório médico, apenas pela sua aparência (emagreça primeiro, depois vemos o que você tem);

- Já que toquei no assunto saúde, preciso dizer: alguém já parou pra pensar em quantas cirurgias bariátricas e partos cesáreos foram feitos apenas pelo fato da pessoa ser gorda? Quantas anestesias gerais já foram aplicadas em pessoas gordas sem a menor necessidade, causando um risco maior à saúde dessas pessoas?

Bom, eu poderia continuar listando esses motivos aqui mas pra isso já tem o blog e a página no facebook, onde sempre conversamos sobre isso.
Mas o fato é que: existe uma diferença ABISMAL do que é SE SENTIR GORDA e de fato SER.
Existem questões OCUPACIONAIS envolvidas entendem?
A opressão estética existe para todas nós MULHERES que vivemos em uma sociedade altamente misógina, que exclui o tempo todo os nossos corpos, nossas vozes e vivências. Mas isso não quer dizer que somos todas iguais, que podemos usar das mesmas pautas para nos empoderar. Não, não podemos.
A luta anti-gordofobia NÃO É BAGUNÇA.

Divine no filme “Pink Flamingos” (1972, John Waters)

Se você se sente gorda, sofre por ter uns quilos a mais, eu entendo você, de verdade! E acho que o bodypositive, corpos positivos, é uma boa resposta para isso. O auto amor de qualquer mulher para si mesma é revolucionário!

MAS PELO AMOR DA DEUSA! Não silenciem mulheres que REALMENTE sofrem com isso, somos reais, nossas pautas e nossos problemas são 100% palpáveis. Não temos a opção de um dia acordar e não nos sentirmos mais gordas, porque SOMOS entendem?
Mesmo que eu faça uma bariátrica amanhã pra não ser mais gorda, isso nunca vai mudar tudo o que vivi até hoje, e convenhamos que ter o estômago reduzido, não necessariamente irá fazer com que entremos no padrão magro certo? Mesmo que eu ficasse magra, ainda teria um pedaço de mim dilacerado, ainda teria um estômago pela metade!

(Aproveito para deixar todo o meu respeito às mulheres que passaram por este procedimento, pois longe de mim julgar os motivos que as levaram à isso, só estou problematizando algumas questões aqui!)

Acho que a questão, no final das contas é essa: respeitar o lugar de fala da sua amiga. Todas nós somos cobradas por questões como: dieta, perda de peso, alimentação, etc. Mas por favor amigas, entendam que pra quem é realmente gorda isso se expande, e muito ok?

É uma linha tênue essa da opressão estética e da Gordofobia, mas temos que começar a prestar atenção nestas questões para que não hajam desentendimentos em nossos próprios processos de empoderamento certo?

Isso tudo pra que estejamos mais unidas, pois todas nós devemos nos amar, do jeito que somos! Além disso, devemos sempre lembrar que todas temos nossas particularidades, pois não existem mulheres que apenas são gordas: existem mulheres negras, lésbicas, trans, bissexuais, pobres, faveladas, nordestinas, com algum tipo de deficiência e por aí vai! Então essa luta se agrega à outras questões que são particulares de cada uma de nós, e devemos sempre problematizar isso, mas sem silenciar outras lutas entendem?! Espero que sim! =)

Um beijão bem GORDO pra vocês migas <3

Publicado aqui




Beijões Queen Size,

Claudia Rocha GorDivah