sexta-feira, 5 de julho de 2013

Quando a Luz Faz Curva

Como pensar sobre o caos?

Sabe aquele dia ruim que nunca acaba? Agora imagina esse dia virando uma semana que não acaba e justo quando você está começando a pensar, ufa acabou...tchananam....chega quem? O amado CAOS!!!! Com um mega buraco negro capaz de desviar até a trajetória retilínea da luz, algo bizarro já que luz não tem massa e se propaga em linha reta...será mesmo? Tudo bem eu sei que as estrelas nascem do caos e blá blá blá...mas, que porcaria de timing hein Universo!!



Não sou pessimista, nem posso me dar o luxo de ser, pois acabaria demolindo minha própria vida se fosse, mas apesar de ter a cabeça nas nuvens, meus lindos pezinhos estão enraizados no chão. E de tanto carregar o mundo nas costas e não conseguir tirar ele de lá, espero sempre o melhor e me preparo pro pior. Soa meio paradoxal, mas é bem assim que vivo...e tem funcionado bem até hoje, tem me segurado e impedido de desmoronar por completo.

Eu estou enfrentando uma batalha colossal na minha saúde, uma batalha que alguém que eu amava muito perdeu, justo quando eu nunca sequer aceitei cogitar a possibilidade de derrota e quando isso aconteceu, alguma coisa aqui dentro quebrou e me deixou assim, sempre tentando me preparar pra tudo e qualquer coisa. Só que não há como alguém conseguir fazer isso eu sei, mas vai colocar isso na minha cabeça vai.....simplesmente não entra! E com isso eu acabei mudando muito e ficando assim, com defeito. E acredito que não tem como consertar não, viu?

E nessa roda viva eu acabo redirecionando minha energia para batalha e acabo me isolando, não sei nem como eu desta vez estou conseguindo escrever tanto, geralmente fico totalmente offline, pois perco a habilidade de lidar com sentimentos, pensamentos, com as pessoas mais próximas, já que acabo, na minha praticidade preocupando e às vezes entristecendo as pessoas e eu odeio fazer isso. Prefiro morrer calada com o grito preso do que dividir o sofrimento com quem amo. Acho que é uma maneira inconsciente de tentar proteger as pessoas evitar que sofram por minha causa, como se as estivesse preparando para um adeus, uma tentativa desesperada de proteger uma última vez aqueles que são tão preciosos para mim.