quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

JULIANA #GorDivahDoMês #GorDivahEmpoderadora

Sabe quando você encontra uma amiga online, cria uma amizade direto do vazio cibernético pra dentro da tua alma e que mesmo de longe te faz um bem daqueles?! Pois é assim eu conheci a Juliana que de seguidora virou uma querida amiga.

Compartilho com vocês o texto empoderador da moça:

O caminho difícil do empoderamento do corpo gordo.

É preciso que se diga a verdade: trilhar o caminho do empoderamento do corpo gordo não é fácil e nunca será.
E a razão é muito simples: a força da gordofobia na nossa sociedade.

Quanto pessoas gordas, crescemos sempre vendo nosso corpo ou características de um corpo gordo ser posto como ruins e indesejáveis. Quantas vezes ouvimos ao longo da vida que parecer ter um corpo maior não é uma coisa boa. Nas dicas de maquiagem é o truque para afinar o rosto; nas roupas é diminuir a silhueta/ disfarçar a barriga ou as áreas maiores. Não importa o que seja: peito, bunda, quadril, braço… Ter uma silhueta maior não é desejável, pois ser uma pessoa mais bonita é ser alguém de aparência magra.

Quando o corpo gordo aparece, ele vem carregado de estereotipos: ou somos pessoas tristes e frustradas que comem demais ou eternos palhaços da galera que também comem desenfreadamente. Podemos aparecer em obras literárias ou demais representações  em comparações com porcos e contextos de nojo, à soberba , mesquinhagem e preguiça, à maldade, com ostentação e riqueza ou forma de exteriorizar a falha de caráter e imperfeição através do formato do corpo gordo.

Somos Humanos somos perfeitos perfeitas lindos lindas independente de raça cor peso... #Gordasim #Gordofobiaoff #empoderamentogordo #Gordivas

Juliana do Channel Dhuly Juliana

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Gorda LIVRE!

Sou gorda, sou livre, sou mulher que faz o que quer e não o que esperam que eu faça.

Não construo minha autoestima com base no gosto dos 'parça'.

Não busco sua validação, seu ódio disfarçado de opinião não passa de opressão.

Seu discurso de puritanismo é mais um vômito do machismo.

Cultura do estupro sobrevive de raízes  que condenam como obsceno a visão do corpo da mulher livre, dona de si, despida de preconceitos, vestida de felicidade e amor próprio, coroada com autoestima e empoderamento.

Obsceno é o feminicídio, obsceno é o machismo, obscena é a gordofobia, obsceno é o falso puritanismo, obsceno é atacar com violência  uma mulher que poderia ser sua filha, sua irmã, sua sobrinha, sua neta, sua amiga, sua namorada, sua chefe, sua médica, sua advogada, sua síndica, a juíza que bate o martelo de uma causa sua, sua companheira, sua avó, sua tia, sua CEO....

OBSCENO é compactuar com a violência contra a mulher!

Falta de respeito é você achar que discurso de ódio é opinião!

Se dar ao respeito é compreender que somos seres humanos livres, que devemos respeitar a existência de cada um como ela é, livre, respeitar a vida que você tem, o fôlego de vida que te move sem bancar o juiz de ninguém, sendo verdadeiro e leal à sua essencia, fazer valer sua existência.

Claudia GorDivah

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Por quê Você Está Aqui?

Papo reto, o que vcs fazem aqui?

Quem tá interessado em trocar ideias sobre como empoderar gordas e de maneira efetiva fazer algo para evoluirmos na luta contra a gordofobia, empoderar gordas em vez de bater boca com trolls gordofóbicos, aprender mais sobre os direitos dos gordos, lutar pelos direitos dis gordos, cobrar os direitos já adquiridos pelos gordos, empoderar gordes e militar contra gordofobia?

Tô chamando há anos as gordas pra fazer algo e virei uma D Quixote, a louca contra os moinhos de vento só porque eu sonho em fazer com que mulheres gordas como eu tenham um estalo e resolvam: acordar do mundo mágico plus de fantasia e pisar no mundo gordo da realidade e acordar pra realidade que é a gordofobia diária!

Tô convocando há anos para pelo menos lerem ou assistirem material que instrui sobre como contra atacar a gordofobia, como processar, como cobrar acessibilidade,  como exigir nossos direitos de consumidora gorda.

Precisamos de militância e ativismo gordo! Vai continuar enquanto existirem gordas alienadas que não estão nem aí pra gordofobia diária que gordas anônimas enfrentam todo dia.

Mas é só aparecer alguém famoso sendo gordofóbico que o mundo plus dá um pio pra gerar trâfego na internet e atenção para si, mas comprometimento com #empoderamentogordo e #militânciagorda CADÊ?

Vai continuar reinando a gordofobia enquanto nós gordes permanecermos de braços cruzados....

O Que Você Quer Ver Lá No Canal?

Quero sugestões para vídeos povo!

Quero receber perguntas de vocês lá no ask!

Vocês gostariam que eu fizesse vídeos sobre que tema?

Tem algum relato?

Quer sugerir um tema?

Chega mais e escreve aí!

Quero ouvir vocês!

Bjs gordos!

❣❣❣INSCREVA-SE NO CANALl!

youtube.com/user/gordivahnoar/?sub_confirmation=1

💗Siga no SNAP 💕
www.snapchat.com/add/gordivah

➡CURTA👇
☞facebook.com/GorDivah
☞ facebook.com/GordasMaravilhosas
☞ facebook.com/ClaudiaGorDivah

👻 Snap/ 🐦 Twitter/ 📷 Instagram: @GorDivah

💋 Beijões gordos 👄

#autoestima  #AtitudeCorporalPositiva #AutoimagemCorporalPositiva
#GRLPWR  #FatPWR
#BlogGorDivah
#EmpoderemAsGordas
#EmpoderamentoGordo
#YouTuberGorda
#Fatyoutuber
#bodypositive  #fatpositive  #fatacceptancemovement  #GordaNãoÉOfensa 
#AntiGordofobia  #StopGordofobia
#gordasmaravilhosas
#GorDivahOFICIAL #EmpowerALLBodies #EmpodereTODOSosCorpos #RepresentatividadeGORDA  #GordaMeRepresenta  #blogueiraGorda #Fatblogger #DiversityMatters
#CelebrateMySize
#StopFatphobia
#SizeInclusion
#MilitanciaGorda  #losehatenotweight

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Gordo Não É Doente Só Porque É Gordo! #AceitaLogoQueDóiMenos

Nunca foi sobre o bem estar do gordo, nunca foi por se impotarem com gordes, sempre foi um incômodo estético para mídia e sociedade. GORDO NÃO É DOENTE pelo simples fato de ser gordo!

Há milhares de motivos que podem fazer alguém engordar, não julgue todos os gordos do mundo por causa de uma meia dúzia que você possa ter conhecido ou pelo tipo de indivíduo gordo que você é ou foi, e antes que digam doença, CID não significa bosta nenhuma, homossexualismo já teve CID....que coisa hein!

A imagem abaixo é um comentário que fiz em um determinado lugar em resposta a essa falácia de que todo gordo é doente.

Que Comece O EMPODERAMENTO

Que tal incluir nas suas resoluções de ano novo o abandono da  "neura por dietas" e adotar como meta de vida o empoderamento  de si própria e também de outras mulheres?
Vamos parar e refletir quantas vezes velada, em forma de humor ou piada de gosto duvidoso, nós perpetuamos discursos que oprimem outras mulheres? Vamos filtrar mais o que vemos e ouvimos antes de repetirmos a opressão  que recebemos e às vezes nem temos consciência disso?
Abandone o "que comecem as dietas" e adote
"Que comecem as desconstruções e que comece o empoderamento!"

Tags pra usar:

#quecomeceoempoderamento
#empoderamentogordo  #ativismogordo  #gordativismo #militânciagorda  #quecomeceadesconstrução
#chegadeneuras #chegadenoias #empoderese #empodereoutrasmulheres  #imagemcorporalpositiva #bodypositive  #fatpositive  #fatinspiration  #fatacceptancemovement  #ameseucorpo #autoestima  #amorpróprio #effyourbodystandards  #effyourbeautystandards  #everyBODYisflawless

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Aceitei Um Encontro Sem Perceber - Vida de Ace

Uma história da série: Vida de Assexual(ace)
Imagine a situação, você blogueira e dona de página eventualmente pode acabar criando laços cordiais de coleguismo ou trabalho ou amizade com as pessoas que conversam, fazem parceria ou são participantes ativos no seu mundo virtual, sempre presentes em suas redes e trabalho virtual.

E não é raro acontecer de você conhecer, esbarrar ou comparecer a um evento onde estas pessoas também estejam, seja como público ou "expositor" ou membro de equipe que trabalha no evento.

Pois bem, lembrei de uma história que me fez rir muito tempo depois e decidi compartilhar aqui. Quem me acompanha há um tempinho ou já fuçou o conteúdo do meu canal e páginas sabe que amo star wars, Doctor Who, Star Trek, Rock, Poesia,Livros e afins,  dentre muitas outras coisas. E um dia eu fui num evento desses, relacionado a um desses temas e encontrei uma pessoa que eu só conhecia online e fui cumprimentar e elogiar o trabalho.

Quem acompanha também já deve ter visto que posto sempre algo relacionado a assexualidade, guarde esta informação.  O evento era maravilhoso, muita coisa para ver e ler e consumir e quando lá pelas tantas esbarrei de novo com a pessoa que me diz: você vai ficar até o final? Vai fazer algo depois? Eu ainda pensando....e a pessoa solta, uma mina me falou que tem um restaurante/café/livraria por aqui que tem uma estátua do Yoda em tamanho real...eu já WHAAAAT?! Mano me diz onde é que vou lá agora! Aí o cara disse poxa eu também quero ir, vamos juntos quando acabar. Eu falei ok.

Pegamos um táxi e o cara não tinha o endereço, não sabia o nome direito, fomos pro meu hotel, no hall tinha um computador, procurei ali, achei o endereço pegamos outro táxi e fomos...

Só que na época eu estava apaixonada por uma pessoa que conheci online e era correspondida e eu ia encontrar com essa pessoa assim que possível que morava num estado beeeem longe do meu. O que eu não sabia na época é que eu sou assexual....

Pois bem o cara sabia desse meu lance platônico online e que eu gostava do outro cara, e depois de ver a livraria, o material nerd de lá, ver o Yoda e tirar foto, sentamos para comer e beber algo. Aí quando o cara me pergunta de vida amorosa falei que estava na mesma, apaixonada por um cara online kkkkkkkkkkk mas mesmo assim ele chegou em mim e eu fiquei WTF?! E sem entender bem falei:

Hey! Nera pra ver o Yoda que a gente veio aqui? Nera? E o cara riu, enfim....era um encontro e eu não sabia mesmo. Virei e falei algo que acho que até hoje ele não entende. Expliquei que quando eu gosto/amo/me apaixono, independente de estar ou não com a pessoa em um relacionamento, por estar apaixonada por aquela pessoa, nenhuma outra me interessa ou me atrai....Eu era assexual heterorromântica gray A, sex positive(assexual, encurtando ace que faz sexo sim, em determinadas circunstâncias, algo bem individual que varia de ace para ace).

O cara não entendeu, mas eu sou assim, se tô gostando de uma pessoa, não vai rolar nada com outras. É minha natureza e por ser assim eu não vi maldade, não percebi que o objetivo não era o Mestre Yoda...me senti tão estúpida depois por não ter entendido ou visto maldade que logo fomos embora. E desde então essa coisa de ir a eventos é algo que não me atrai muito. Prefiro shows ou palestras ou ações comunitárias.

Então não é porque alguém aceitou um convite seu que você vai ficar com a pessoa. Eu sou ace e nerd se não me falarem claramente eu não vou maldar, não vou achar que está interessado em mim, mas infelizmente isso não me impede de me interessar pelas pessoas e ficar ali sentindo um monte de coisa sem a pessoa fazer ideia da minha vontade de sair e conhecer melhor, saber mais sobre elas....

Vida de ace nerd é difícil viu 💜♥♠🍰